Copa desencadeia protestos e greves

 

 

Silvana Blesa | 17/06/2013 – 02:38

 Os protestos contra a Copa das Confederações e Copa do Mundo e também contra o aumento das passagens de ônibus estão se alastrando pelo Brasil. Na Bahia, além dessas manifestações, Salvador amanhece hoje sob o signo de diversas greves. Os trabalhadores em bares, restaurantes e hotéis ameaçam cruzar os braços, os salva-vidas vão se manifestar e podem parar, e os motorista devem suspender as atividades nesta terça. É um momento de tensão e de muita prudência, para evitar que os ânimos percam a razão.

Em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte Brasília e Salvador, segmentos representativos da sociedade se unem com o único propósito de manifestar a indignação diante dos problemas enfrentados pelo país, que investiu milionários recursos públicos para sediar a Copa do Mundo de 2014 e tem que pagar caro para adentrar num dos estádios palco do torneio internacional de futebol.

Os protestos ocorrem em um momento em que o Brasil vive um lento e baixo crescimento econômico, sob o teto de uma inflação de 6,5% ao ano, a meta oficial, o que tem provocado a queda de popularidade do governo da presidente Dilma Rousseff, vaiada neste sábado, durante a abertura dos jogos.

Em Brasília, pelo menos 26 manifestantes e sete policiais ficaram feridos, enquanto outros 20 foram detidos, durante a abertura dos jogos, na partida entre Brasil e Japão. Antes disso, em São Paulo, Minas e Rio de Janeiro, várias pessoas já vinham demonstrando insatisfações contra o aumento de passagem de ônibus, questões de segurança, saúde e educação nos estados.

Para apoiar os manifestantes, um grupo de 500 estudantes universitários caminhou por várias ruas do centro de Salvador no final da tarde de sábado. Segundo informações da polícia, a mobilização ocorreu de forma pacífica, afetando apenas o trânsito, que ficou engarrafado em algumas ruas por onde o grupo caminhava.

A concentração começou por volta das 16h, no Passeio Público. De acordo com informações da assessoria da Polícia Militar, o protesto de sábado foi pacífico e por isso não teve tumulto entre manifestantes e policiais. “Nós acompanhamos o grupo para manter a ordem”, falou a assessoria.

Porém, os manifestantes prometeram fazer outra caminhada hoje, às 16 horas, e outra na quinta-feira quando dará início ao primeiro jogo no Estádio da Arena Fonte Nova, da Copas das Confederações. A assessoria da PM se posicionou e disse que toda a cúpula está preparada para agir com eficiência quanto às manifestações. “Se ocorrer de forma pacífica, iremos apenas acompanhar, mas se bloquearem ruas, teremos que agir usando gás lacrimogêneo e bombas de borrachas se precisar”, salientou a assessoria.

Segundo a PM, os manifestantes podem gritar e vaiar, porém, não será permitido arremessar objetos que possam ferir alguém. Os manifestantes estão se organizando pela rede social e estão unindo aos estados que estão gritando suas insatisfações, devido várias deficiências enfrentadas pelo país, que investiu vultoso dinheiro nos jogos da Copa.

“Temos uma educação deficiente, uma segurança frágil e uma saúde precária, isso, em todas as cidades do Brasil. Precisamos que os governantes invistam primeiro nesses três itens para depois mostrar uma cidade maravilhosa para os turistas”, disse a estudante de fisioterapia Catiane Freitas Losa, presente na manifestação.

Além disso, o grupo também manifestou a falta de mobilidade urbana para realização da Copa das Confederações. As insatisfações estão por todas as partes da cidade. Os trabalhadores dos hotéis prometeram parar as atividades esta semana e os motoristas de ônibus também prometeram cruzar os braços.

Tudo isso tem refletido negativamente na imprensa internacional. No entorno da Arena da Fonte Nova, a PM disse que cabe à Prefeitura de Salvador manter os preparos da segurança para evitar tumultos de manifestantes. Também, agentes da Marinha, Exército, Polícia Federal, Civil e Militar estão em alerta para manter um jogo sem danos e problemas para turistas e soteropolitanos.

Fonte :  IG

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.